quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

AÇOUGUE GOURMET - PICANHA DE R$ 244,90/KG

(3710) O Restauranter:
AÇOUGUE GOURMET - PICANHA DE R$ 244,90/KG; FRANQUIA PARTE DE R$ 400 MIL
Tataraneto de pecuaristas de Ponta Grossa (PR), Lucas Ribas, 29, está modernizando os tradicionais negócios da família com uma franquia de açougue gourmet, o Da Fazenda.
A marca é voltada às classes AB e tem cortes especiais, como a picanha Wagyu (raça de boi de origem japonesa), que custa R$ 244,90 o quilo, e o bife de chorizo Wagyu, que sai por R$ 185,90 o quilo. O projeto é abrir 10 lojas no Paraná e em Santa Catarina em 2016. Depois, em 2017, São Paulo e Rio Grande do Sul.
A franquia tem investimento inicial a partir de R$ 400 mil (com custos de instalação, taxa de franquia e capital de giro). O faturamento médio mensal é de R$ 120 mil, com lucro de 8% a 15%, ou seja, de R$ 9.600 a R$ 18 mil. O retorno do investimento se dá entre 24 e 60 meses, segundo a empresa.

Degustação e aulas

Além dos cortes nobres, o diferencial da rede fica por conta de um espaço gourmet dedicado a degustações e cursos relacionados a gastronomia, segundo Ribas. "Esses eventos estão em alta por causa da onda gourmet causada por programas de TV como o Masterchef e são mais uma forma de rentabilizar o negócio", afirma o empresário.
O preço médio dos cursos é R$ 200 por pessoa e inclui jantar de degustação. A loja ainda vende temperos e presentes, como cervejas, copos e kits de churrasco.

Carne não é da família

A primeira unidade foi aberta em Ponta Grossa em julho de 2014. O negócio virou franquia em dezembro de 2015. Apesar de a família possuir cabeças de gado, as carnes do açougue não vêm da fazenda própria, pois a produção é pequena, segundo Ribas.
"Um boi produz 250 quilos de carne, em média, mas apenas quatro quilos, no máximo, são picanha. Como trabalhamos com carnes mais nobres, o volume da fazenda não é suficiente", afirma.

Picanha australiana

Ele diz que todos os fornecedores possuem o SIF (Selo de Inspeção Federal), que atesta as condições sanitárias dos frigoríficos. As carnes são vendidas frescas ou congeladas e os preços variam de R$ 29,90 o quilo (linguiça de pernil e coxão duro) a R$ 244,90 o quilo (picanha de Wagyu). O mais vendido, no entanto, é o bife de chorizo de origem nacional, que sai por R$ 48,90 o quilo.
Cerca de 10% dos produtos são importados, como a picanha australiana, que custa R$ 104,90 o quilo. Ribas diz que a tecnologia no setor possibilita que a carne nacional tenha tanta qualidade quanto as importadas e reconhecidas, como a de origem argentina.
"Não é tanto a origem ou a raça que influenciam na qualidade da carne, mas fatores como seleção genética, tipo de alimentação do gado, tempo de pastagem ou de confinamento e idade do abate", afirma.

"Butcher expert"

As lojas da rede terão um "butcher expert" (açougueiro especialista, em inglês), que nada mais é do que um açougueiro treinado para cortes especiais, que orienta os clientes na escolha e no preparo da carne.
As carnes são divididas por linhas: dia a dia (como coxão duro e carne moída), tradicional (bife de chorizo, ancho e outros), butcher expert (como medalhão de mignon com bacon) e reserva premium black (Picanha Wagyu).

Açougue de bairro é concorrente

Para Diego Simioni, consultor especializado em franquias da Goakira, o negócio acerta ao ter o público-alvo bem definido e uma proposta de valor clara. "A oferta de produto e serviço juntos é uma tendência, pois cria um vínculo mais profundo com o cliente", diz. No entanto, ele afirma que isso aumenta a complexidade da operação.
Outro desafio é que o mercado é pulverizado, e a empresa vai competir com supermercados e açougues de bairro. "São locais que não tem o público-alvo tão definido, mas onde o cliente já tem o hábito de comprar."
Ele cita ainda a existência de um concorrente de peso no setor, a Swift – Mercado da Carne, que tem lojas em São Paulo e é do Grupo JBS, dono da Friboi.

Onde encontrar:

www.facebook.com/dafazendapontagrossa 

FONTE: http://economia.uol.com.br/empreendedorismo/noticias/redacao/2016/01/20/acougue-gourmet-tem-picanha-de-r-24490kg-franquia-parte-de-r-400-mil.htm

MAURICIO GOULART

“Mauricio Goulart Ferreira, natural do Rio de Janeiro, mora em Palmas - TO desde 2000, atuando nos grandes empreendimentos do setor gastronômico do estado e atualmente desenvolve um projeto de consultoria e de assessoramento com foco no atendimento a clientes.”

0 comentários:

 

Copyright @ 2013 Restauranter.